14 maio 2009

situação da música...

Escrevi uma brincadeira sobre os gênios da música, não precisam ‘pegar mal’.

 

Vamos lá... Vejamos e analisamos alguns acidentes na música brasileira:

Cazuza morreu de AIDS, enquanto Raul Seixas de alcoolismo;

Chico Science foi dessa pra melhor num acidente de carro e Marcelo Yuka teve o azar de ser baleado num assalto e ficou sem alguns movimentos;

Herbert Vianna e o tal ultraleve (que não estava tão leve assim), Marcelo Fromer e o motoqueiro, que não era fantasma e passou por cima dele mesmo, a Cássia Eller que adorava uma farinha, mas não na comida.

Bom, drogas sempre foi abuso entre os famosos e tirou a vida de muitos como Elvis Presley, Jim Morrison, Janis Joplin, Jimi Hendrix, Brian Jones, John Boham, Kurt Cobain, Bradley Nowel, entre outros.

Mas esse não é o núcleo da ‘bagaça’, não estou aqui para dar moral sobre as drogas, eu gostaria de falar sobre a nossa situação, a situação de alguns artistas que, modéstia parte, poderiam ter ido no lugar de alguns mestres.

Quem será o próximo ver Jessé¿

Às vezes não sei quem é pior no meio de tanta coisa ruim. Vamos recordar alguns que, com todo respeito, poderiam aposentar as chuteiras, ou melhor, o palco.

O Beto Jamaica parece um aspirador de pó e ta lá em pé;

Alexandre Pires bebe todas (duvido que só beba), sai a todo vapor com o Mercedes, até mata um pião simples de calça jeans e continua compondo;

Xandy, do Harmonia do Samba, e Carla Perez, do É o Tchan (não mais, Era o Tchan), vão piorar ainda mais a humanidade tendo mais filhos.

Netinho, do Negritude Jr., tem voz de gay, rebola como gay, se veste como gay, parece gay, mas dá uma de ‘machão’. Apesar de que deve ser macho mesmo, tem mais filho que coelho;

Alguém sabe onde o Rodriguinho quer chegar com aquela viseira na cabeça¿

E o Cumpadi Wóshito, com aquela cara de pinguço, é pago pra gritar nas músicas “tchê, tchê, tchê, tchêêê... Ai, ai ai.... Olha o kibe!!!...”;

E pra finalizar, o pagodeiro Bello, que poderia ser chamado “Bonito”, aí a gente virava pra ele, com uma cara de decepção e falaríamos: Bonito ein!

Bom, vou parando por aqui. Espero uma vida longa pra todo mundo. Que nós possamos ouvir os clássicos Eguinha Pocotó, Baba Baby, Festa no Apê, Maionese...


Um comentário:

Tiago Carvalho disse...

Cara, adorei sua ênfase no cumpadre wóshito...haha....
Se todos pensassem assim.....
Abraços cara!!!